sábado, 29 de julho de 2017

Sempre a subir


Chega-se tarde, quando se procura atalhes.




Visite - tartaruga de duas cabeças -Franziska

Foram Cardos, Foram Prosas - Manuela Moura Guedes

Há luz sem lume aceso
Mas sem amar o calor
À flor de um fogo preso
À luz do meu claro amor

Há madressilvas aos pés
E águas lavam o rosto
Dedos que tens em rés pés
Oh, meu amante deposto

Não foram poemas nem rosas
Que colheste no meu colo
Foram cardos, foram prosas
Arrancadas do meu solo

Porque tu ainda me queres
O amor que ainda fazemos
Dá-me um sinal se puderes
Sejamos amantes supremos

Será sempre a subir
Ao cimo de ti
Só para te sentir

Será no alto de mim
Que um corpo só
Exalta o seu fim

sexta-feira, 21 de julho de 2017

A voz no silêncio


Um abraço traduz exactamente, aquilo que o coração quer transmitir






Visite-BLOG DE TAIS LUSO-Tais Luso


Miguel Gameiro & Cuca Roseta – Aquela Canção

É tarde e a cidade parece dormir
E eu quero ficar acordado

Perguntas-me o porquê de me estar a rir
Tenho o segredo mais bem guardo

E no abraço apertado
Cantamos aquela canção

Entre a pressa e o desejo
Secreta paixão
Rodamos entre quatro paredes

Com a força de um beijo
Tiras-me o chão
Corpo seco, que mata a sede

E ri-mos como crianças
Talvez já nem haja amanhã

Como a força do mar num porto qualquer
És a calma de um rio nessa pele de mulher
Como chama que arde e se apaga a seguir
És passado, és presente
És futuro que há-de vir
Como o ar que me falta e se aperta no peito
És a palavra certa no poema perfeito
Como brisa que vem numa tarde de Verão
És a voz no silêncio
És aquela canção

Entre a pressa e o desejo
Secreta paixão
Rodamos entre quatro paredes

Com a força de um beijo
Tiras-me o chão
Corpo seco, que mata a sede

E ri-mos como crianças
Talvez já nem haja amanhã

Como a força do mar num porto qualquer
És a calma de um rio nessa pele de mulher
Como chama que arde e se apaga a seguir
És passado, és presente
És futuro que há-de vir
Como o ar que me falta e se aperta no peito

És a palavra certa no poema perfeito
Como brisa que vem numa tarde de Verão
És a voz no silêncio
És aquela canção       

sábado, 15 de julho de 2017

Palavras

Na falta de palavras, ficam somente os sentimentos.




Maria Teresa - Faltam-Me As Palavras

Faltam-me as palavras
Para dizer-te o que sinto
Faltam-me os poemas
Que descrevam o meu sentir
Por isso me calo
Deixo falar os sentidos
Pois tudo o que eu disser ainda é pouco
Para ti
Por mais frases bonitas que eu invente
Não valem nada
O amor não se explica
Simplesmente é mesmo assim

Se digo que te quero
Ainda quero mais
Se digo que te amo
Não diz o que há em mim
Se digo que te adoro
São palavras banais
Comparado aquilo que eu sinto por ti

Faltam-me as palavras
Para dizer-te o que sinto
Faltam-me os sorrisos
Que mostram como eu estou feliz
Por mais frases bonitas que eu invente
Não valem nada
O amor não se explica
Simplesmente é mesmo assim

Se digo que te quero
Ainda quero mais
Se digo que te amo
Não diz o que há em mim
Se digo que te adoro
São palavras banais
Comparado aquilo que eu sinto por ti

Faltam-me as palavras
Faltam-me as palavras

Se digo que te quero
Ainda quero mais
Se digo que te amo
Não diz o que há em mim
Se digo que te adoro
São palavras banais
Comparado aquilo que eu sinto por ti

Se digo que te quero
Ainda quero mais
Se digo que te amo
Não diz o que há em mim
Se digo que te adoro
São palavras banais
Comparado aquilo que eu sinto por ti

Faltam-me as palavras
Faltam-me as palavras
Faltam-me as palavras

sábado, 8 de julho de 2017

Iguais em caminhos diferentes


Existem amores que duram mais que uma vida

                     


Visite - No Meu Silêncio - Fá Menor 

A.M.A - Diferentes Iguais

As vezes olho por ti
Tanta diferença e tudo pode acabar

E fico com leves memórias
Desse beijo que não começou

Não sei onde estou 
Ou se estou a sonhar 
E se estiver não quero acordar

Sabemos que tudo ficou diferente
No dia em que te conheci

Sabemos que não mais volta pra trás
Agora é tempo de mudar

Nós somos iguais em caminhos diferentes
Nós somos diferentes em caminhos iguais 

Amanha vamos sorrir
E não podemos deixar tudo acabar 

E dizer que não vais 
Voltar atrás 
Ao tempo em que te conheci 

Um dia vai tudo mudar a luz
E agora é tempo de sonhar 

Nós somos iguais em caminhos diferentes
Nós somos diferentes em caminhos iguais

sábado, 1 de julho de 2017

Mulher


Ser mulher é viver mil vezes em apenas uma vida, é lutar por causas perdidas e sempre sair vencedora, é estar antes do ontem e depois do amanhã.
Silvana Duboc




Rita Redshoes - Mulher

Sou mulher contra mim o que vier
É bem-vindo se trouxer, igualdade e desalinho
Sou mulher, sem vergonha de vencer
Eu aprendo ao viver e não mudo o meu caminho

Sei dizer o que quero e o prazer
Ganha força eu não minto, mas desarmo
Sei mostrar o que sinto e lutar
Corpo a corpo, eu não minto e não escondo
Que o desejo, é maior, que o medo

Sou mulher e agarro o que vier,
Boca a boca sem esquecer
O batom do meu destino

Sem gemer vou colher-te
E querer, dar-te um nome ao morrer
Vou chamar-te meu menino

Sei dizer o que quero e o prazer
Ganha força eu não minto, mas desarmo
Sei mostrar o que sinto e lutar
Corpo a corpo, eu não minto e não escondo
Que o desejo, é maior, que o medo.