sábado, 27 de dezembro de 2014

Feliz Ano Novo/ Happy new year/ Feliz Año Nuevo

                                       Feliz ano novo para todos e que todos os seus sonhos se realizem!

                                       Happy new year to everyone and may all your dreams come true!

                                       Feliz año nuevo a todos y que todos tus sueños realidad!

                                       Felice anno nuovo a tutti e tutti i tuoi sogni possono avverarsi!

                                       Bonne année à tous et que tous vos rêves se réalisent !

                                       Hyvää uutta vuotta kaikille ja saattaa kaikki ur unelmista totta!

                                       С новым годом для всех и пусть все ваши мечты сбудутся!

                                       Godt nytår til alle og kan alle dine drømme gå i opfyldelse!

                                       Happy new year voor iedereen en kunnen al uw dromen uitkomen!

                              Καλή χρονιά σε όλους και μπορεί να όλα σας τα όνειρα γίνονται πραγματικότητα!


"Um país abandonado, deixado à mercê de um destino que não se vislumbra no horizonte. Um povo descalço, que cai a cada passo que dá, empurrado por uma gigantesca mão feita de aço. Paisagens inóspitas arrancadas, à força, do coração de que é feito esta gente. Um coração que bate, forte, indestrutível. O povo que cai, mas que se ergue sempre após cada queda e continua a caminhar. O povo que é o país, o povo que somos nós. Todos."
Dead Combo

"A country abandoned, left to the mercy of a destination other than glimpsed on the horizon. A barefoot people, which falls every step you take, pushed by a giant hand made of steel. Inhospitable landscapes grubbed up, by force, of the heart that is made of these people. A heart that beats, strong, indestructible. The people falling, but rising always after each drop and keep walking. The people that is the country, the people that we are. Everyone. "
Dead Combo

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Feliz Natal / Merry Christmas



O Papa tem sido extremamente crítico das consequências do capitalismo e da "idolatria do dinheiro". Considera a fome "um escândalo global", equipara as consequências das "guerras financeiras" às dos conflitos armados e, na sua primeira exortação apostólica, diz que o "dinheiro deve servir e não governar". "Assim como o mandamento 'não matar' põe um limite claro para assegurar o valor da vida humana, assim também hoje devemos dizer 'não a uma economia da exclusão e da desigualdade social'. Esta economia mata. Não é possível que a morte por enregelamento de um idoso sem abrigo não seja notícia, enquanto o é a descida de dois pontos na bolsa. Isto é exclusão"
Escreveu o Papa Francisco

The Pope has been extremely critical of the consequences of capitalism and the "idolatry of money". Considers the famine "a global scandal", equates the consequences of "financial wars" to armed conflicts and, on his first apostolic exhortation, says that the "money should serve and not rule." "Just as the commandment ' do not kill ' puts a limit of course to ensure the value of human life, so also today we must say ' no to an economy of exclusion and social inequality '. This economy kills. It is not possible that death by spinning an elderly homeless man isn't news, while the is the descent of two points in the bag. This is deletion "
Wrote Pope Francisco







terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Sabor

       Ponta da Piedade-Lagos-Portugal 
Sentir o sabor da água salgada, a brisa e o cheiro da maresia, também é felicidade. 


Amor Electro - Mar Salgado

Quase perto
Quase até de amor
Quase certo
Já sinto o sabor
Já não durmo
Já nem falo em dor
Que eu desperto
Já vejo o calor

Sei de cor o prazer de voltar
É contigo afinal
Vou perder-me de vez sem pudor
Já vejo amor

Cai neste abraço que é só teu
Que é tão forte o meu desejo
Mar Salgado no meu beijo

Vem, faz de conta que és só meu
De um adeus que não se encontra
Mar Salgado de revolta

Quase perto
Quase a viajar
Mergulho incerto
Pronto a respirar

Sei de cor o prazer de voltar
É contigo afinal
Vou perder-me de vez sem pudor
Já vejo amor

Cai neste abraço que é só teu
Que é tão forte o meu desejo
Mar Salgado no meu beijo

Vem, faz de conta que és só meu
De um adeus que não se encontra
Mar Salgado de revolta

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Todo o Tempo

             Odeceixe/Portugal 


 Há todo o tempo do mundo para conquistar a felicidade


Rui Veloso - Podes vir a qualquer hora

Podes vir a qualquer hora
Cá estarei para te ouvir
O que tenho para fazer
Posso fazer a seguir
Podes vir quando quiseres
Já fui onde tinha de ir
Resolvi os compromissos
agora só te quero ouvir

Podes-me interromper
e contar a tua história
Do dia que aconteceu
A tua pequena glória
O teu pequeno troféu

Todo o tempo do mundo
para ti tenho todo o tempo do mundo
Todo o tempo do mundo

Houve um tempo em que julguei
Que o valor do que fazia
Era tal que se eu parasse
o mundo à volta ruía

E tu vinhas e falavas
falavas e eu não ouvia
E depois já nem falavas
E eu já mal te conhecia

Agora em tudo o que faço
O tempo é tão relativo
Podes vir por um abraço
Podes vir sem ter motivo
Tens em mim o teu espaço

Todo o tempo do mundo
para ti tenho todo o tempo do mundo
Todo o tempo do mundo

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Ansiedade

Ansiedade provoca um caminhar sem rumo dentro nós próprios



Estou além

Não consigo dominar
Este estado de ansiedade
A pressa de chegar
P'ra não chegar tarde
Não sei de que é que eu fujo
Será desta solidão
Mas porque é que eu recuso
Quem quer dar-me a mão

Vou continuar a procurar a quem eu me quero dar
Porque até aqui eu só

Quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi

Esta insatisfação
Não consigo compreender
Sempre esta sensação
Que estou a perder
Tenho pressa de sair
Quero sentir ao chegar
Vontade de partir
P'ra outro lugar
Vou continuar a procurar o meu mundo, o meu lugar
Porque até aqui eu só

Estou bem
Aonde não estou
Porque eu só estou bem
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou
Porque eu só estou bem
Aonde não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Escutar

Consegue-se escutar o silêncio?


Escuto mas não sei
Se o que oiço é silêncio
Ou deus escuto sem saber se estou ouvindo
O ressoar das planícies do vazio
Ou a consciência atenta
Que nos confins do universo me decifra e fita
Apenas sei que caminho como quem
É olhado amado e conhecido
E por isso em cada gesto ponho solenidade e risco.

Sophia de Mello Breyner Andresen

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Melhor

É melhor ser feliz hoje, do amanhã ninguém sabe nada. 


Tento saber-Nuno Guerreiro

Tento saber como é que vai ser, se posso viver sem ti
Tento fugir mas eu só penso, na hora em que estás aqui
Tu nunca vens e quando apareces, finges que não há nada
Deixas-me só sempre a pensar, que chegamos ao fim da estrada
Pode parecer que sou livre, mas eu estou preso a ti
Às vezes disfarço e não consigo
Mas eu só penso na hora em que estás aqui
Ligas para mim, eu vou até ai, depois dizes que não podes
Prometo que não te quero ver mais, até que tu não me largues
Não vejo ninguém vou por ai, deixo passar as horas
Chamo-te nomes grito contigo, e tu dizes que me adoras
Pode parecer que sou livre mas eu estou preso a ti
Às vezes disfarço e não consigo e eu só penso na hora em que estás aqui
Tento manter a calma às vezes, parece que não te ligo
Pode parecer até que te esqueço, mas só quero estar contigo
Tento dizer adeus e tu deixas, sempre uma porta aberta
Tento esconder e fujo para noite, acordo de uma directa
Pode parecer que sou livre, mas eu estou preso a ti
Às vezes disfarço e não consigo
Mas eu só penso na hora em que estás aqui

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Disposto

Apenas quem está disposto a ouvir, aceita a verdade. 


JORGE PALMA -Estrela do mar

Numa noite em que o céu tinha um brilho mais forte
E em que o sono parecia disposto a não vir
Fui estender-me na praia sozinho ao relento
E ali longe do tempo acabei por dormir

Acordei com o toque suave de um beijo
E uma cara sardenta encheu-me o olhar
Ainda meio a sonhar perguntei-lhe quem era
Ela riu-se e disse baixinho: estrela do mar

Sou a estrela do mar
Só a ele obedeço, só ele me conhece
Só ele sabe quem sou no princípio e no fim
Só a ele sou fiel e é ele quem me protege
Quando alguém quer à força
Ser dono de mim

Não sei se era maior o desejo ou o espanto
Mas sei que por instantes deixei de pensar
Uma chama invisível incendiou-me o peito
Qualquer coisa impossível fez-me acreditar

Em silêncio trocámos segredos e abraços
Inscrevemos no espeço um novo alfabeto
Já passaram mil anos sobre o nosso encontro
Mas mil anos são pouco ou nada para a estrela do mar...

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Sem Retorno

Algumas coisas da vida perdem-se com o tempo, a vida é volátil.


Dr1ve-Tentei

Sinto que fiz de tudo
Sem retorno
Sinto que o tempo desliza sobre nós
Desliza sobre tudo... Desligas-te de nós

Tentei mas sinto que falta algo...

E é na noite que encontro
As histórias que rejeito...
Memórias sobre nós, memórias sobre tudo

Tentei mas sinto que falta algo...

sábado, 22 de novembro de 2014

Prender

Não se consegue aprisionar aqueles que possuem asas.



Toranja-Laços

Andamos em voltas rectas
Na mesma esfera
Onde ao menos nos vemos
Porque o fumo passou

A chuva no chão revela
Os olhos por trás
Há que levar o restolho
Do que o tempo queimou

Tens fios de mais
A prender-te as cordas
Mas podes vir amanhã
Acreditar no mesmo deus

Tens riscos de mais
A estragar-me o quadro.
Se queres vir amanhã
Acreditar no mesmo deus

Devolve-me os laços, meu amor!
Devolve-me os laços, meu amor!
Devolve-me os laços, meu amor!
Devolve-me os laços...

Andamos em voltas rectas
 Na mesma esfera
 Mas podes vir amanhã
 Se queres vir amanhã
 Podes vir amanhã

Tens riscos de mais
A estragar-me a pedra
Mas se vieres sem corpo
À procura de luz

Devolve-me os laços, meu amor!
Devolve-me os laços...
Meu amor... meu amor... meu amor...

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Depois Virá

As decepções é apenas uma crise existencial que todos passamos.


Delfins - Não Vou Ficar

A luz que o sol me dá
não chega para me aquecer.
O amor que o mundo tem
não vem dizer "Está tudo bem".

Tu nunca estás comigo

E eu cresço aqui atrás
de ti sem ver o teu olhar.
Ao espelho chamo alguém
na esperança daqui te encontrar.

Eu nunca estou contigo, contigo

Não vou ficar
Não quero ficar
Sozinho
Aqui sem ti
Não vou ficar
Não quero ficar
Perdido
Aqui sem ti

Depois de ti virá
alguém que eu possa abraçar.
Que eu queira a tempo inteiro
junto p`ra poder amar.

Que fique comigo
comigo

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Vi Uma Rosa

Uma rosa pode mudar uma vida🌹


ROSA-ALBARDEIRA

vi uma rosa-albardeira
ai se eu pudesse colhia-a
mas disse-me um passarinho
que se a colhesse morria

que se a colhesse morria
pois não se dá prisioneira
meu amor, eu não sabia
que eras a rosa-albardeira

fui-te a ver e não voltei
deixei pai, deixei mãe
e a casa onde nasci
és para mim a primeira
queira deus ou não queira
já não me largo de ti

fui-te a ver ao pé da serra
a tua rosa foi minha
e semeei-te na terra
à noite pela fresquinha

um dia quando eu partir
fica a nossa sementeira
de nós dois há-de florir
mais uma rosa-albardeira

fui-te a ver e não voltei
deixei pai, deixei mãe
e a casa onde nasci
és para mim a primeira
queira deus ou não queira
já não me largo de ti


quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Agora!

Sorrindo ou chorando, com coragem e segurança, de cabeça levantada, prossegue-se a caminhada.


Mikkel Solnado-Joana Alegre - E Agora?

O que foi feito de ti
Eras perfeita em mim
Será que foste tentar encontrar
Que te foste libertar
Esperei tanto por ti
E caiu-me um manto em mim
Será que te perdeste a caminhar
Ou foi só para me castigar
E agora, será que te perdi
E agora, se terminar aqui
O que será de mim, sem ti
Corri o mundo por ti
Mas o mundo correu sem mim
Será que tu partiste para além mar
Só para me abandonar
E agora, será que te perdi
E agora, se terminar aqui
O que será de mim, sem ti
Não fiques para trás meu bem
Não quero que te percas por aí
Nesta selva de betão
É só confusão

E agora, será que te perdi
E agora, se terminar aqui
O que será de mim, sem ti

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Estrela Brilhante

O tempo passa e continuamos a procurar a estrela, que deixamos fugir.


Miguel Gizzas - A Estrela Mais Brilhante

Vi nos meus olhos tantas vezes os teus
Decorei os teus passos, para pausar os meus

No teu abraço
tinha o meu mundo seguro
Do frio do inverno, do medo do escuro.

Aprendi a contar estrelas
antes de adormecer
Que o teu colo me ensinava
tudo que eu queria saber

E agora, porque foste embora?
Era cedo para o fazer

Lá em cima, que me vejas
Me dirigas pela noite
Onde quer que estejas
És a estrela mais brilhante
E os momentos mais difíceis
Irão passar no instante 

Falaste-me dos riscos
Que ferem como um espinho
Fingiste ir para longe
Mas nunca fiquei sozinho

Deste-me a dúvida
Que tive que desfazer
Era parte da viagem
Que me faria crescer

Mas quando sai para o mundo,
Chamaste-me ao pé de ti!
Disseste para olhar para trás
E ver o que percorri

Mostras-te o que andara,
Confessaste-me ao ouvido
O amor que tinhas por mim

Lá em cima, que me vejas
Me dirigas pela noite
Onde quer que estejas
És a estrela mais brilhante
E os momentos mais difíceis
Irão passar no instante 

Quando te lembrar
Virás ter comigo
No novo abraço
Não irei sentir o perigo

A tua será a minha
E a tua luz não está mais sozinha

Lá em cima, que me vejas
Me dirigas pela noite
Onde quer que estejas
És a estrela mais brilhante
E os momentos mais difíceis
Irão passar no instante 
Lá em cima

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Vai Passar

          Porto Covo - Litoral Alentejano- Portugal 




É fácil aconselhar “vai passar” quando não somos nós a sentir. 



Grito Vagabundo - Rogério Charraz

Trago na memória algo para te dizer
Que o coração não cala e me faz doer
Os caminhos que trilhaste não fazem esquecer
Toda a essência que trazias dentro do teu ser

Tenho na cabeça tanto para te contar
Que a distância em que vivemos tratou de adiar
Sei que chegará o tempo de te reencontrar
Abraçar-te no meu peito e deixar-me ficar

Solta-se a voz cá do fundo
Grito vagabundo
Que deixaste em mim
Perco-me nesta revolta
Na lágrima solta
De um beijo sem fim

Guardo mais esta saudade em forma de canção
Que o meu peito arde forte nesta rouquidão
Busco força no consolo do teu coração
Que bate sempre que me sinto nesta solidão

Solta-se a voz cá do fundo
Grito vagabundo
Que deixaste em mim
Perco-me nesta revolta
Na lágrima solta
De um beijo sem fim