sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Também Choro

Click na foto para ver em tamanho maior
Click on the photo to see it in full size




Marco Rodrigues - O Tempo

O tempo não espera pela gente mas eu espero por ti
O tempo quer ser indiferente, só eu te quero aqui
Por mais que eu te diga, mesmo que eu consiga
O tempo não espera por mim
O tempo não espera pela gente se não fugirmos daqui
Sei que não vai ser diferente, só por dizer que sim
Querer-te despida, na pele de rendida
No meu tempo, não era assim
Mas por mais que a vida, não cure as feridas
O tempo irá curar por si
Não sou de ferro
Nem tenho armas
Apenas a música para ti
Porque eu também choro
Quando me desarmas
E agora canto o que perdi
Porque houve um tempo em que eu te tinha só para mim
Querer-te despida, na pele de rendida
No meu tempo, não era assim
Mas por mais que a vida, não cure as feridas
O tempo irá curar por si
Não sou de ferro
Nem tenho armas
Apenas a música para ti
Porque eu também choro
Quando me desarmas
E agora canto o que perdi
Porque houve um tempo em que eu te tinha só para mim
Só para mim
Não sou de ferro
Nem tenho armas
Apenas a música para ti
Só espero que o tempo te traga até mim

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Pode ser assim


Se hoje foi uma decepção, amanhã será outro dia.


A.M.A - Amanhã

Tudo volta ao normal depois de fazer sentido Um corpo leve e vazio sem saber Que pode ser assim ficar perto de mim dar as mãos e ver o tempo passar. Sinto que amanhã será outro dia Eu não vou esquecer Sinto que amanhã será outro dia Eu não vou esquecer O espaço que quero ter faz um silencio total, que deixa no frio no ar sem saber, Que pode ser assim ficar perto de mim dar as mãos e ver o tempo passar. Sinto que amanhã será outro dia Eu não vou esquecer.

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Aceitar o passado

Não existe presente sem o passado


Lado Esquerdo - Acreditar 

Quando acordo e vejo em ti A aceitação em estares aqui Sem deixares nada alterar A veres o fim mesmo a chegar Porque quando eu acordo só quero gritar Odeio o mundo em que vivo, não quero aqui estar Sem futuro e sem causa continuamos a andar, A aceitar o passado e o amanhã está-se a aproximar Nunca te vi, não Viver sem ti, não Por quem eu conheci, por quem eu reprovei Juro que não me esqueci, eu não me arrependerei Detesto a tua atitude de esconder e mentir Mesmo que eu tente que mude, és tu quem se fica a rir Nunca te vi, não Viver sem ti, não