quinta-feira, 25 de agosto de 2016

De repente

Perde-se muito tempo quando pensamos o que somos e o vamos ser.


Pode O Céu Ser Tão Longe-Pedro Abrunhosa

Vesti a luz do teu nome
E chamei-te pela noite,
Entraste no meu sono
Como o luar entra na fonte.
Trazes histórias e proezas
Dizes que tens tanto para me dar,
Deixas sombras, incertezas,
E partes sem nunca me levar.

E de repente
Um mar sozinho,
Ninguém na margem
Ninguém no caminho,
Tão frio.
E o teu beijo
Mata-me a distância,
Ninguém tão perto
Pode o que o beijo alcança,
E o meu corpo chora
Quando o teu vai embora,
Porque o teu mundo

É tão longe,
Tão longe,
Pode o céu ser tão longe.
Tão longe,
Tão longe,
Se a tua voz vive em mim.

Há um deserto que fica,
Sou um capitão sem barco,
E quando vens pela bruma
Acendem-se estrelas no quarto.
E dizes:
"Trago a luz das sereias,
Trago o canto da tempestade".

E como o vento na areia
Deitas-te em mim feita metade.

E de repente
Um mar sozinho,
Ninguém na margem
Ninguém no caminho,
Tão frio.
E o teu beijo
Mata-me a distância,
Ninguém tão perto
Pode o que o beijo alcança,
E o meu corpo chora
Quando o teu vai embora,
Porque o teu mundo

É tão longe,
Tão longe,
Pode o céu ser tão longe.
Tão longe,
Tão longe,
Se a tua voz vive em mim

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Ninguém chega se não for


O sentido da vida, é encontrar o próprio sentido.


Rogério Charraz | Põe de lado o GPS

Quero ir contigo embora
Para ficarmos na demora
De um beijo devagar
Vou tirar-te a pulsação
E dizer-te ao coração
Que te quero viajar

Quero ir contigo agora
Tu e eu por ai fora
E vais ver que estamos perto
Quando a gente chegar lá
Tu vais ver como isto dá
Como tudo bate certo

Ninguém chega se não for
E não indo ninguém sabe
Se aquilo que nos cabe
Contas feitas é o amor

Já agora que aqui estamos
Vamos ver como nos damos
Nós os dois nesse lugar
Deixa lá essas razões
Porque só os corações
Sabem como lá chegar

Põe de lado o GPS
Vamos ver o que acontece
Indo nesta direcção
Porque eu tenho cá para mim
Que nós vamos dar por fim
Onde mora o coração

Ninguém chega se não for
E não indo ninguém sabe
Se aquilo que nos cabe
Contas feitas é o amor

Põe de lado o GPS
Vamos ver o que acontece...

quinta-feira, 28 de julho de 2016

O porquê

“Tudo tem um porquê, ou é o acaso que nos guia?"


João Pedro Pais – Mentira

Dá-me vontade de te ter a meu lado
Vendo-te a olhar para mim
Sei que estou apaixonado
Mas não posso ficar assim

Deitado num rochedo canto para ti
Como um pássaro livre que voa sem fim
Porque é que a vida nos trama?
Quando alguém se ama
Ter de partir e não poder sorrir

Porque é que choras?
Porque é que dizes o meu nome?
Sem nunca me poderes tocar

Tenho saudades de te ver
Vontade de te abraçar
Sozinho tocando uma guitarra junto ao mar
Recordo-me de ti
Imagino o porquê
A tua cara a flutuar

Porque é que a vida nos fascina
Tantas vezes nos domina
Acreditar que no amor não se sente a dor
Mas é Mentira, Mentira, Mentira, Mentira, Mentira...

Tenho saudades de te ver
Vontade de te abraçar
Sozinho tocando uma guitarra junto ao mar
Recordo-me de ti
Imagino o porquê
A tua cara a flutuar

Porque é que a vida nos fascina
Tantas vezes nos domina
Acreditar que no amor não se sente a dor
Mas é Mentira, Mentira, Mentira, Mentira, Mentira...

sexta-feira, 22 de julho de 2016

A vida tem pressa

O tempo é tão pouco e rápido, para ficarmos presos às indecisões.


O tempo nao pára' – Mariza

Eu sei
Que a vida tem pressa
Que tudo aconteça
Sem que a gente peça
Eu sei

Eu sei
Que o tempo não para
O tempo é coisa rara
E a gente só repara
Quando ele já passou

Não sei se andei depressa demais
Mas sei, que algum sorriso eu perdi
Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo
Para olhar para ti
De agora em diante, não serei distante
Eu vou estar aqui

Cantei
Cantei a saudade
Da minha cidade
E até com vaidade
Cantei
Andei pelo mundo fora
E não via a hora
De voltar p'ra ti

Não sei se andei depressa demais
Mas sei, que algum sorriso eu perdi
Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo
Para olhar para ti
De agora em diante, não serei distante
Eu vou estar aqui

Não sei se andei depressa demais
Mas sei, que algum sorriso eu perdi
Vou pedir ao tempo que me dê mais tempo
Para olhar para ti
De agora em diante, não serei distante
Eu vou estar aqui

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Suei a semana inteira



Sexta-feira (Emprego Bom Já) Boss AC

Tantos anos a estudar para acabar desempregado
Ou num emprego da treta, mal pago
E receber uma gorjeta que chamam salário
Eu não tirei o Curso Superior de Otário
...não é por falta de empenho
Querem que aperte o cinto mas nem calças tenho
Ainda o mês vai a meio já eu estou aflito
Oh mãe fazias-me era rico em vez de bonito

É sexta-feira
Suei a semana inteira
No bolso não trago um tostão
Alguém me arranje emprego
Bom bom bom bom
Já já já já

Eles enterram o País o povo aguenta
Mas qualquer dia a bolha rebenta
De boca em boca nas redes sociais
Ouvem-se verdades que não vêm nos jornais
Ter carro é impossível
Tive que o vender para ter combustível
Tenho o passe da Carris mas hoje estão em greve
Preciso de boleia, alguém que me leve

É sexta-feira
Suei a semana inteira
No bolso não trago um tostão
Alguém me arranje emprego
Bom bom bom bom
Já já já já

É sexta-feira
Quero ir para a brincadeira
mas eu não tenho um tostão
Alguém me arranje emprego
Bom bom bom bom
Já já já já

Basta ser honesto e eu aceito propostas
Os cotas já me querem ver pelas costas
Onde vou arranjar dinheiro para uma renda?
Não tenho condições nem pa alugar uma tenda
Os bancos só emprestam a quem não precisa
A mim nem me emprestam para mudar de camisa
Vou jogar Euromilhões a ver se acaba o enguiço
Hoje é sexta-feira vou já tratar disso

É sexta-feira
Suei a semana inteira
No bolso não trago um tostão
Alguém me arranje emprego
Bom bom bom bom
Já já já já

É sexta-feira
Quero ir para a brincadeira
mas eu não tenho um tostão
Alguém me arranje emprego
Bom bom bom bom
Já já já já

Bom bom bom bom
Já já já já

terça-feira, 5 de julho de 2016

Ser ou não ser


A vida é como um piscar de olhos, passa rápido. 



Resistência - Balada do Bloqueio

É o ser ou não ser
É o ter ou não ter
É o tempo a passar
É o ar a faltar

É o querer ou não querer
E não ter de pensar
É o céu tão baixo
Que me faz ajoelhar

Às vezes sinto um peso
Que não é normal
À conta de um momento mau
Que dura, dura, dura

É o ser ou não ser
É o ter ou não ter
É o tempo a passar
É o ar a faltar

E não sair de casa
Nem falar com ninguém
Não ter nada pra dizer
Nem a ti nem a quer vier

Às vezes sinto um peso
Que não é normal
À conta de um momento mau
Que dura, dura, dura

Estou aqui parado
Sem poder ir
A nenhum lado
Fico sem ti...
Tão bloqueado.

domingo, 26 de junho de 2016

Do princípio ao fim

“O verdadeiro nome do amor é cativeiro.”

                                                                 William Shakespeare


David Fonseca - Ela Gosta De Mim Assim

Ela gosta de mim assim
Há terra à vista
Hey maquinista prego a fundo
Que o inverno não é a minha estação
Mesmo o Outono dá tanto sono
Alarme só na Primavera
E nunca durmo no verão

Acordo tarde e perco a hora
Mundo lá fora
Dizem que eu sou um caso estranho
A ovelha mais negra do rebanho

Ela gosta de mim assim
Ela é perfeita para mim
Ela gosta de mim assim
Do princípio ao fim

Sou ave rara
Sou fruta cara
Fugi dessa gaiola
Não sou de cativeiro

E assim eu fiz
Fui, ser feliz
Ser feliz é trabalho que dura o ano inteiro

E troco tudo por um beijo
Quando te vejo
Leva o meu ouro, meu marfim, meu sol, uma bola de Berlim
Este caminho é só meu
Olhos postos no céu
E o que eu tenho é tão pouco, mas tudo que tenho é teu
Vamos…

Ela gosta de mim assim
Ela é perfeita para mim
Ela gosta de mim assim
Do princípio ao fim

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Prazer




D'Alma - Cada Dia Sem Gozo Não Foi Teu

Cada Dia sem Gozo não Foi Teu
Cada dia sem gozo não foi teu
Foi só durares nele. Quanto vivas
Sem que o gozes, não vives.

Não pesa que amas, bebas ou sorrias:
Basta o reflexo do sol ido na água
De um charco, se te é grato.

Feliz o a quem, por ter em coisas mínimas
Seu prazer posto, nenhum dia nega
A natural ventura!

Ricardo Reis, in "Odes"
Heterónimo de Fernando Pessoa

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Papoila Lilás




                         Distinta da papoila vermelhas que cobrem os campos com tanta desfaçatez que se
                         perdem de vista, a papoila-dormideira é lilás e igualmente bonita.



UHF - Foge Comigo Maria

Foge comigo Maria, foge comigo Maria
Para longe desta terra
Meu amor, pra toda a vida, meu amor p'ra toda a vida
É a paixão que nos leva

Foge comigo Maria
Foge comigo Maria, já

Se tu fosses girassol, se tu fosses girassol
Eu seria beija-flor
Nesta cama sem lençol, nesta cama sem lençol
Se repete o nosso amor

Deita fora esse lenço, deita fora esse lenço
Não te quero a chorar
Se o teu pai é burro-velho, se o teu pai é burro-velho
Só nos resta não voltar

Foge já...

De quem são estas palavras
Que me escreves meu amor
Se o vento seca as lágrimas
Não me cala esta dor...

Foge comigo Maria
Morre comigo Maria
Foge comigo Maria, já

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Rosa Albardeira

Pessoas são como as rosas, esperam encontrar os seus jardineiros. 


Rosa Albardeira-Baile Popular

Vi uma rosa-albardeira
Ai se eu pudesse colhia-a
Mas disse-me um passarinho
Que se a colhesse morria

Que se a colhesse morria
Pois não se dá prisioneira
Meu amor, eu não sabia
Que eras a rosa-albardeira

Fui-te a ver e não voltei
Deixei pai, deixei mãe
E a casa onde nasci
És para mim a primeira
Queira deus ou não queira
Já não me largo de ti

Fui-te a ver ao pé da serra
A tua rosa foi minha
E semeei-te na terra
À noite pela fresquinha

Um dia quando eu partir
Fica a nossa sementeira
De nós dois há-de florir
Mais uma rosa-albardeira

Fui-te a ver e não voltei
Deixei pai, deixei mãe
E a casa onde nasci
És para mim a primeira
Queira deus ou não queira
Já não me largo de ti

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Tempo Esgota

Há receios que mais parecem desejos!


Vá Lá Senhora - Os Golpes

Vá lá senhora chegou a hora
Vá lá senhora chegou a hora de escolher o seu par
De escolher o seu par
Alguém para amar, alguém para amar

Vá lá senhora a hora é pouca
Vá lá senhora que o tempo esgota
Vá escolher o seu par
Vá escolher o seu par
Alguém para amar, Alguém para amar

Do sofrimento a condição, sobre o pavimento da escuridão.
Raparigas e rapazes, monumentos tão audazes
Há azul na tua mão
Sangue inocente, palpitação
Alegria, tradição, euforia, excitação
Pra escolher o seu par
Pra escolher o seu par
Alguém para amar, alguém para amar

Vá lá senhora a hora é pouca
Vá lá senhora que o tempo esgota
Vá escolher o seu par
Vá escolher o seu par
Alguém para amar, Alguém para amar.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Um mar sozinho





Pode O Céu Ser Tão Longe
Pedro Abrunhosa

Vesti a luz do teu nome
E chamei-te pela noite,
Entraste no meu sono
Como o luar entra na fonte.
Trazes estórias e proezas
Dizes que tens tanto para me dar,
Deixas sombras, incertezas,
E partes sem nunca me levar.

E de repente
Um mar sozinho,
Ninguém na margem
Ninguém no caminho,
Tão frio.
E o teu beijo
Mata-me a distância,
Ninguém tão perto
Pode o que o beijo alcança,
E o meu corpo chora
Quando o teu vai embora,
Porque o teu mundo

É tão longe,
Tão longe,
Pode o céu ser tão longe.
Tão longe,
Tão longe,
Se a tua voz vive em mim.

Há um deserto que fica,
Sou um capitão sem barco,
E quando vens pela bruma
Acendem-se estrelas no quarto.
E dizes:
"Trago a luz das sereias,
Trago o canto da tempestade".
E como o vento na areia
Deitas-te em mim feita metade.

E de repente
Um mar sozinho,
Ninguém na margem
Ninguém no caminho,
Tão frio.
E o teu beijo
Mata-me a distância
Ninguém tão perto
Pode o que o beijo alcança,
E o meu corpo chora
Quando o teu vai embora,
Porque o teu mundo

É tão longe,
Tão longe
Pode o céu ser tão longe.
Tão longe,
Tão longe
Se a tua voz vive em mim.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Fico Imóvel


Armação de Pera-Algarve 





Xutos & Pontapés- Perfeito Vazio

Aqui estou eu
Sou uma folha de papel vazia
Pequenas coisas
Pequenos pontos, vão-me mostrando o caminho

Às vezes aqui faz frio,
Às vezes eu fico imóvel,
Pairando no vazio
Às vezes aqui faz frio

Sei que me esperas
Não sei se vou lá chegar
Tenho coisas pra fazer
Tenho vidas para acompanhar

Às vezes lá faz mais frio,
Às vezes eu fico imóvel,
Pairando no vazio
Perfeito vazio
Às vezes faz lá mais frio

Bem vindos à minha casa
Ao meu lar mais profundo
Onde eu saio por vezes
A conquistar o mundo

Às vezes tu tens mais frio
Às vezes eu fico imóvel
Pairando no vazio
No perfeito vazio
Às vezes lá faz mais frio

O teu peito vazio...

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Mais vale morder um desejo





Tudo Por Um Beijo -Jorge Palma

Eu não sei bem quem tu és
Sei que gosto dos teus pés
Do teu olhar atrevido

Tu baralhas-me a razão
Invades-me o coração
E eu ando um pouco perdido

Troco tudo por um beijo
Mais vale morder um desejo
Que ter toda a fama do mundo

Troco tudo por um beijo
Mais vale morder um desejo
Que todo o dinheiro do mundo

Adivinha onde eu cheguei
Desde o tempo em que roubei a tua privacidade
Fiz de ti lírio quebrado
Fera de gesto acossado, vendi a tua ansiedade

Troco tudo por um beijo
Mais vale morder um desejo
Que ter toda a fama do mundo

Troco tudo por um beijo
Mais vale morder um desejo
Que todo o dinheiro do mundo

E agora que estamos sós, vamos ser apenas nós
Dar a volta ao argumento
Vamos fugir em segredo
Sumir por entre o enredo, soltar o cabelo ao vento

Troco tudo por um beijo
Mais vale morder um desejo
Que ter toda a fama do mundo

Troco tudo por um beijo
Mais vale morder um desejo
Que todo o dinheiro de mundo

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Não Consigo



Dengaz-Dizer que não

Eu queria dizer que não,
Mas estou contigo,
Eu queria dizer que não,
Mas não consigo..
Eu queria dizer que não!

Yeah!,
Eu sorria porque era p'ra sempre,
Hoje eu estou com uma cara diferente,
A ver no que nos estamos a tornar,
Mas se me quiseres mudar ou trocar eu vou-te encarar de frente!
Deste-me uma chance e eu não hesitei,
O número do teu mundo e eu fixei,
Mas na verdade também sei,
Que sou do tipo que só dou valor aquilo que tenho quando fico sem,
E se isto aqui for por vaidade,
Então desculpa mas não vai dar,
É que p'ra mim não faz sentido, eu continuar contigo se o que temos não for de verdade!
Ela tem dedicatória e tu dedicação,
E o que valia um obrigado, agora é obrigação,
Mas sei que nada mas nada aqui foi em vão,
Mas hoje..

Eu queria dizer que não
Mas estou contigo
Eu queria dizer que não
Mas não consigo
Eu queria dizer que não!

Eu não nasci p'ra ficar sem ti.
Mas só p'ra nos é que isso faz sentido,
E não são os bens que tu me dás,
Nem o medo que tu mudares,
É aquilo que tu me fazes sentir,

E eu nem sei se te ouvi, mas
Quando tu não tas não sei se tou vivo, e
Amor igual ao teu eu sei que eu nunca tive, e
O teu lugar em mim eu sei que esse é cativo, e
Venha o que vier a nossa historia não acaba aqui,
Desde o principio que o que eu senti foi o que eu segui,
Contra tudo e todos mas agora não tou a conseguir,
Vê-la deitada na minha cama e eu pensar em ti,
Se a realidade é maior do que a ficção,
As palavra que eu te digo ao ouvido eu já vi que são,
De verdade e p'ra marcar p'ra sempre a nossa ligação,
Mas hoje..

Eu queria dizer que não
Mas estou contigo
Eu queria dizer que não
Mas não consigo

Não tenho cara, nem tenho lata,
Não tenho nada,
E o tempo pára quando eu te encaro,
Só p'ra dizer pára,
E eu cobarde, paro e comparo,
Que o amor sem fogo não arde,
É só tara, agora é tarde,
P'ra dizer que não,
Então se eu bazar sem te avisar,
Nem dizer nada,
Sem saberes que eu já tou farto,
Nem escrever última carta,
E eu sei que és tu quem me pagas,
Mas hoje és tu quem me apagas,
E se agora só me estragas,
Então sorry mas comigo,
Não!

Eu queria dizer que não
Mas estou contigo

domingo, 1 de maio de 2016

Outra Vez Acontece





Resistência - Vai sem Medo

Vai sem medo
É de novo o começo
Que outra vez acontece
O horizonte escurece
Faz-se um grande sossego,

Não faz mal, vai sem medo
Não há preto nem branco
Nem há ninguém por perto
Que te possa ajudar

Vai depressa
E parte à descoberta
Porque a noite aparece
Nem há sombras no chão
E é tão grande o segredo

Não faz mal, vai sem medo
Não há preto nem branco
Nem há ninguém por perto
Que te possa guiar

Pensa grande
Num futuro distante
Em que possas mudar
Teu amor encontrar
Num caminho incerto

Não faz mal, vai sem medo
Não há preto nem branco
Nem há ninguém por perto
Só quem vais encontrar
Não faz mal, vai sem medo
Não há preto nem branco
Nem há ninguém por perto
Só quem vais encontrar

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Expressões Únicas




Martim Vicente - Em Tempos

Em tempos sós, é quando pedaços de amor batem à porta
Em tempos sós, é quando a palavra liberdade parece prisão
Em tempos sós, o relógio avança sem ponteiros de segundos
Em tempos sós, o meu sorriso fraqueja

Em tempos a sós, descobrem-se sorrisos e expressões únicas
Em tempos a sós, a liberdade serve de escudo e de lança
Em tempos a sós, parece que a história ainda agora começou
Em tempos a sós, como criança ansioso por te ver

'Olá' dizes tu sem pedir permissão ao meu coração para entrar
E a minha mão quer tatuar no teu corpo, que me seduz,
A luz que me pedes ao ouvido para apagar

Em tempos, nós, olhámos um para o outro à espreita da janela
Em tempos, nós, sonhámos um com o outro sem Freud perceber
Em tempos, nós, contámos o sonho às orelhas alheias
Em tempos, nós, pensámos na situação

Em tempos após, acreditei que a liberdade tinha teu nome
Em tempos após, juraste que o meu nome era prisão
Em tempos após, fechaste a janela que nunca quiseste abrir
Em tempos após, como criança ansioso por te ver

‘Olá! ‘, dizes tu sem pedir permissão ao meu coração para entrar
E a minha mão quer tatuar no teu corpo, que me seduz,
A luz que me pedes ao ouvido para apagar

Em tempos houve momentos em que acreditei que os ventos da tua raça se podiam misturar com o meu ser.
Mas a luz que apaguei fez a chuva limpar a minha tatuagem no teu corpo sem luz

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Enquanto houver ventos e mar






Jorge Palma - A Gente Vai Continuar

Tira a mão do queixo não penses mais nisso
O que lá vai já deu o que tinha a dar
Quem ganhou ganhou e usou-se disso
Quem perdeu há-de ter mais cartas pra dar
E enquanto alguns fazem figura
Outros sucumbem á batota
Chega a onde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota

Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Todos nós pagamos por tudo o que usamos
O sistema é antigo e não poupa ninguém
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependência é uma besta
Que dá cabo do desejo
A liberdade é uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo

Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Pronto a respirar

Ilha da Fuseta 




                                                      Nesta Praia não se deixa nada, a não ser pegadas
                                                      Nesta praia não se leva nada, a não ser saudades 
                                                      Nesta praia não se mata nada, a não ser o tempo
                                                      Nesta Praia não se tira nada, a não ser fotografias


Amor Electro - Mar Salgado

Quase perto
Quase a ter-te amor
Quase certo
Já sinto o sabor
Já não durmo
Já nem falo em dor
Eu desperto
Já vejo o calor

Sei de cor o prazer de voltar
É contigo afinal
Vou perder-me de vez sem pudor
Já vejo o amor

Cai neste abraço que é só teu
Que é tão forte o meu desejo
Mar salgado no meu beijo
Vem
Faz de conta que és só meu
De um adeus que não se encontra
Mar salgado de revolta

Quase perto
Quase a viajar
Mergulho incerto
Pronto a respirar

Sei de cor o prazer de voltar
É contigo afinal
Vou perder-me de vez sem pudor
Já vejo o amor

Cai neste abraço que é só teu
Que é tão forte o meu desejo
Mar salgado no meu beijo
Vem

Faz de conta que és só meu
De um adeus que não se encontra
Mar salgado de revolta

Cai neste abraço que é só teu
Que é tão forte o meu desejo
Mar salgado no meu beijo
Vem
Faz de conta que és só meu
De um adeus que não se encontra
Mar salgado de revolta

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Sigo



Hoje Eu Não Sou - David Fonseca

Abre os olhos são seis da tarde
De um dia que já passou
Acordei dentro de um corpo dormente
Tão igual ao que se deitou

Hoje eu não sou
Transparente tão ausente
Já esqueci tudo o que lembrei
Hoje eu não sou
Quase nada alma apagada
E tenho tanto que ainda não dei

Saio de casa passo apressado
Mas não sei bem para onde vou
Sigo a calçada, mas está desfocada
Tanta gente que aqui já passou

Hoje eu não sou
Quase morto controlo remoto
Sou boneco à tua mercê
Hoje eu não sou
De joelhos bola de espelhos
Dá-me luz mas nunca me vê

Hoje eu não sou
Hoje eu não estou
Sou um fantasma de um desejo
Sou só uma boca sem teu beijo
Hoje eu não sou
Hoje eu não estou
Sou uma chaga sempre aberta
E o teu abraço só aperta onde eu não sou

Ponho dois pratos na mesa um retrato
Em que sorris para quem o tirou
Faço as perguntas dou as respostas
Tu já foste eu ainda aqui estou

Hoje eu não sou
Já deitado farol apagado
Quarto escuro não sei de quem
Hoje eu não sou
Uma prece só reconhece
A tua voz e a de mais ninguém

Hoje eu não sou
Hoje eu não estou
Sou um fantasma de um desejo
Sou só uma boca sem teu beijo
Hoje eu não sou
Hoje eu não estou
Sou uma chaga sempre aberta
E o teu abraço só aperta onde eu não sou

O teu abraço só aperta onde eu não estou

Onde estás
No escuro eu não te vejo
Tudo me faz
Lembrar de ti mas não te tenho

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Vale Figueira-Costa Vicentina-Algarve 



Sebastião Antunes e Quadrilha - Ninguém é Dono do Mar

Se eu um dia não voltar
Desenha o meu nome no chão
Pede um desejo às ondas do mar
E guarda na tua mão
Sempre que a noite vier, quando não houver luar
Dá o desejo a uma onda qualquer e pede-lhe para eu voltar

Trago o destino das águas
No aguardar dos rochedos
Dizem que o tempo á que apaga as mágoas
Quem será que apaga os medos?

O mar não e de ninguém
Ninguém e dono do mar
Nem aqueles que la sabem navegar
O mar não e de ninguém
Ninguém e dono do mar
Nem aqueles que la sabem navegar

E se depois eu vier
Foi porque o mar te escutou
Deixa os sorrisos correrem pela praia
Que o temporal acabou
E havemos nós de fazer
Se a sorte está decidida
As mãos que nos têm presos a morte
São de quem nos prende à vida

Trago um coral de ansiedades
Por te querer saber deitada
Maior que a dor que vem nas tempestades
Ter de esperar pela chegada

O mar não e de ninguém
Ninguém e dono do mar
Nem aqueles que la sabem navegar
O mar não e de ninguém
Ninguém e dono do mar
Nem aqueles que la sabem navegar

Vou embalado pelo vento
Ando sem hora marcada
Na barca anda um lamento
Que nem eu sei de onde vem
Andam rezas pela praia
A aguardar pela chegada
Faz-se o destino cinzento
Sempre que a barca não vem
De ninguém... de ninguém...

O mar não e de ninguém
Ninguém e dono do mar
Nem aqueles que la sabem navegar
O mar não e de ninguém
Ninguém e dono do mar
Nem aqueles que la sabem navegar
O mar não e de ninguém
Ninguém e dono do mar
Nem aqueles que la sabem navegar

sábado, 2 de abril de 2016

Vou Estar Aqui

Praia Monte Clérigo -Costa Vicentina


Mariza & Paulo de Carvalho - Mundo Inteiro

Todos te querem bem
mas tu não, mas tu não
todos te querem também
mas tu não, mas tu não
eu vou estar aqui, vou estar aqui
para quando tu
não quiseres ouvir
vou estar aqui, por ti...

Quando não tens ninguém
eu estou cá, eu estou cá
e quero-te também
tu não vês, tu não vês
eu vou estar aqui, vou estar aqui
para quando tu, não quiseres ouvir
vou estar aqui, por ti

Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém
que não tem tratado bem

E quando me vejo ao espelho
e pergunto-me
quando é que esse espelho vai sorrir, porque

Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém
que não tem tratado bem

E quando me vejo ao espelho
e pergunto-me
quando é que esse espelho vai sorrir,

Pra mim, pra mim
e pergunto-me
quando é que esse espelho vai sorrir
para mim

Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém
que não tem tratado bem e...

Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém
que não tem tratado bem

Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro

Eu não quero
eu não quero, ver o mundo inteiro
pronto a esquecer que tem alguém
que não tem tratado bem...

segunda-feira, 28 de março de 2016

Arde Sem Se Ver



Luís Represas & João Gil --- Amor é fogo

Amor é um fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se e contente;
É um cuidar que ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões

quinta-feira, 24 de março de 2016

Acreditar

Nada é fácil, acreditar é o primeiro passo.


Quinta do Bill - Voa

Sou mal amado, mas sei amar
o que tu tens para me dar
trago na boca o coração
preso nos versos desta canção

Sinto-me tão leve que não posso acreditar
voa, voa, voa
Sinto-me tão leve que não posso acreditar
voa, voa, voa

Ainda agora aqui cheguei
e mil mulheres eu já amei
mas o destino não é ficar
e parto em busca de outro lugar

Sinto-me tão leve que não posso acreditar
voa, voa, voa

sexta-feira, 18 de março de 2016

Às vezes a solidão é confortável

    Pior que a solidão é estar rodeado de pessoas que não notam ou não querem saber da sua presença.



Sebastião Antunes- Proibido Adivinhar

Laptop na mão a mala no chão
Um sonho adiado é futuro ou solidão
É cedo para ter saudades tarde para voltar atrás
E ninguém a quem mostrar aquilo de que sou capaz
Curriculum vitae, competências, passaporte
Um perfil adequado e pouco mais que lhes importe
O hostel não é mau a vida não é tão ingrata
Aqui perto há um bar que tem cerveja barata

Já não dá para adiar proibido adivinhar

Às vezes ficar sozinho é uma dor que não se escreve
Quase toda a gente teme mesmo quando não se deve
Fez-se o que havia a fazer a gente dá o que tem
Nada disto quer dizer que tudo vai correr bem
Um diploma na mão aprende-se a acreditar
Mas existe qualquer coisa que me está a faltar
A vida só faz sentido colorida de paixão
Ontem deram-me um sorriso é amor sim ou não.

terça-feira, 15 de março de 2016

Lentamente


O que cresce lentamente cria raízes profundas





Miguel Gameiro - O teu nome

Só para afastar esta tristeza
Para iluminar meu coração
Falta-me bem mais tenho a certeza,
Do que este piano e uma canção.

Falta me soltar na noite acesa
O nome que no peito me sufoca,
E queima a minha dor.

Falta-me solta-lo aos quatro ventos
Para depois segui-lo por onde for,
Ou então dize-lo assim baixinho
Embalando com carinho,
O teu nome, meu amor.

Porque todo ele é poesia,
Corre pelo peito como um rio
Devolve aos meus olhos a alegria
Deixa no meu corpo um arrepio,
Porque todo ele é melodia
Porque todo ele é perfeição.
É na luz que vem.

Falta-me dize-lo lentamente
Falta soletra-lo devagar,
Ou então bebe-lo como um vinho,
Que dá força pro caminho
Quando a força faltar.

Falta-me solta-lo aos quatro ventos
Para depois segui-lo por onde for,
Ou então dize-lo assim baixinho
Embalando com carinho,
O teu nome, meu amor.

Porque todo ele é melodia
E porque todo ele é perfeição.
É na luz que vem.

Falta-me solta-lo aos quatro ventos
Para depois segui-lo por onde for,
Ou então dize-lo assim baixinho
Embalando com carinho,
O teu nome, meu amor.

sexta-feira, 11 de março de 2016

Sentimento

O sentimento acontece naturalmente, não é obrigatório nem tem que ser forçado.



António Variações "sempre ausente"

Diz-me que solidão é essa
Que te põe a falar sozinho
Diz-me que conversa
Estás a ter contigo

Diz-me que desprezo é esse
Que não olhas para quem quer que seja
Ou pensas que não existes
Ninguém que te veja

Que viagem é essa
Que te diriges em todos os sentidos
Andas em busca dos sonhos perdidos

Lá vai uma luz
Lá vai o demente
Lá vai ele a passar
Assim te chama toda essa gente

Mas tu estás sempre ausente e não te conseguem alcançar

Diz-me que loucura é essa
Que te veste de fantasia
Diz-me que te liberta
Que vida fazias

Diz-me que distância é essa
Que levas no teu olhar
Que ânsia e que pressa
Tu queres alcançar

Que viagem é essa
Que te diriges em todos os sentidos
Andas em busca dos sonhos perdidos

Lá vai uma luz
Lá vai o demente
Lá vai ele a passar
Assim te chama toda essa gente

Mas tu estás sempre ausente e não te conseguem alcançar

Mas eu estou sempre ausente e não conseguem alcançar
Não conseguem alcançar

segunda-feira, 7 de março de 2016

Aprender a viver

A vida ensina-nos a conviver com uns e a sobreviver sem outros.


Mafalda Veiga - " Restolho "

Geme o restolho, triste e solitário
A embalar a noite escura e fria
E a perder-se no olhar da ventania
Que canta ao tom do velho campanário

Geme o restolho, preso de saudade
Esquecido, enlouquecido, dominado
Escondido entre as sombras do montado
Sem forças e sem cor e sem vontade

Geme o restolho, a transpirar de chuva
Nos campos que a ceifeira mutilou
Dormindo em velhos sonhos que sonhou
Na alma a mágoa enorme, intensa, aguda

Mas é preciso morrer e nascer de novo
Semear no pó e voltar a colher
Há que ser trigo, depois ser restolho
Há que penar para aprender a viver

E a vida não é existir sem mais nada
A vida não é dia sim, dia não
É feita em cada entrega alucinada
Para receber daquilo que aumenta o coração

Geme o restolho, a transpirar de chuva
Nos campos que a ceifeira mutilou
Dormindo em velhos sonhos que sonhou
Na alma a mágoa enorme, intensa, aguda

Mas é preciso morrer e nascer de novo
Semear no pó e voltar a colher
Há que ser trigo, depois ser restolho
Há que penar pra aprender a viver

E a vida não é existir sem mais nada
A vida não é dia sim, dia não
É feita em cada entrega alucinada
Para receber daquilo que aumenta o coração

quarta-feira, 2 de março de 2016

Do lado de cá

A vida é maravilhosa, quando não existe medo de a viver intensamente.


Eu Sou Feliz- Virgem Suta

Do lado de lá, não dá para te ver
Do lado de lá, não dá para te encontrar
Do lado de lá, não sou feliz

É perto de ti que quero estar

Do lado de cá, vivo nas nuvens
Do lado de cá, fico a levitar
Do lado de cá, eu sou feliz

E sonho contigo assim ficar
Eu sou feliz
Eu sou feliz

Perto de ti, e é bom, é bom estar

Do lado de cá, não há problemas
Do lado de cá, vão-se os dilemas
Do lado de cá, já sou feliz

É tão bom amar, diz-me ao ouvido diz

Eu sou feliz
Eu sou feliz
Perto de ti, e é bom, é bom estar

Vamos gritar ao mundo
Eu sou tão feliz

Eu sou feliz
Eu sou feliz
Perto de ti, e é bom, é bom estar

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

A Vida Segue

A vida é curta demais para se pensar voltar atrás.


Melhor de Mim - Mariza

Hoje a semente que torna na terra
E que se esconde no escuro que encerra
Amanha nascerá uma flor.
Ainda que a esperança da luz seja escassa
A chuva que molha e passa
Vai trazer numa luta amor.

Também eu estou à espera da luz
Deixou-me aqui onde a sombra seduz.
Também eu estou à espera de mim
Algo me diz que a tormenta passará.

É preciso perder para depois se ganhar
E mesmo sem ver, acreditar.
É a vida que segue e não espera pela gente
Cada passo que demos em frente
Caminhando sem medo de errar.
Creio que a noite sempre se tornará dia
E o brilho que o sol irradia
Há-de sempre me iluminar.

Quebro as algemas neste meu lamento,
Se renasço a cada momento,
Meu destino na vida é maior.
Também eu vou em busca da luz
Saio daqui onde a sombra seduz.
Também eu estou à espera de mim
Algo me diz que a tormenta passará.

É preciso perder para depois se ganhar
E mesmo sem ver, acreditar.
É a vida que segue e não espera pela gente
Cada passo que demos em frente
Caminhando sem medo de errar.
Creio que a noite sempre se tornará dia
E o brilho que o sol irradia
Há-de sempre me iluminar.

Sei que o melhor de mim está pr'a chegar!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Talvez Um Dia

Talvez um dia possamos dar mais valor ao que nos dá serenidade, e menos valor ao que nos causa tristeza.


Sebastião Antunes - "Sabes eu também"

Estava difícil combinar um café, mas desta vez lá foi
Talvez possamos falar do que já lá vai que as vezes ainda dói
Da coragem esquecida que já se perdeu
Quem deixou por dizer foste tu ou fui eu
Da lembrança guardada num canto qualquer
Da palavra apagada por não se entender
E dizer-te num gesto mais enternecido
Sabes, eu também ando um bocado perdido.

Vou preparar-te um jantar, com certeza vou ser original
E vou escolher-te um bom vinho. Tu sabes, nunca me saí mal
Vou falar-te das voltas que a vida trocou
Das verdades que o tempo já entrelaçou
Entre sonhos queimados lançados ao vento
Entre a cor de um sorriso e o tom de um lamento
E dizer-te de um sopro empurrado pela sorte
Sabes, eu também ando um bocado sem norte

Olha, não fiz sobremesa. Deixa lá, fica para a outra vez
Vamos deixar mais um copo a falar dos quês e dos porquês
Uma história que nos apeteça lembrar
Um episódio que nunca nos deu para contar
Um segredo guardado pelo cair do pano
Um encontro marcado no cais do engano
E dizer-te na hora em que a voz fraquejar
Sabes, eu também me apetece chorar

E vou chamar um táxi. É hora para te levar a casa
Era suposto um de nos nesta altura ficar com a alma em brasa
Mas a vida é assim, não aconteceu
Pouco importa dizer, foste tu ou fui eu
O que importa é o abraço que estava por dar
Há-de haver uma próxima e mais um jantar e
E dizer-te a sorrir já passa das três
Dorme bem, quem sabe … um dia talvez.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Imaginar

As coisas não acontecem como se imagina.


Deolinda - Corzinha De Verão

Por que é que o sol nunca brilha quando fico de férias
Aos fins de semana ou nos meus dias de folga?
Eu passo os dias a ver gente em fato de banho
Calções e havaiana e eu sempre de camisola

E eu andei o ano inteiro, a juntar o meu dinheiro
Para esta desilusão
Dava todo o meu ouro por um pouco do teu bronze
Uma corzinha de verão

Vento, eu na praia a levar com vento
A rogar pragas e a culpar são Pedro
Que mal fiz eu ao céu?
E tento, juro que tento imaginar bom tempo
Espalho o protector solar e estendo o corpo no museu

Por que é que tudo conspira contra a minha vontade?
Sim, sim é verdade, não estou a ser pessimista
É que a vizinha da cave é sempre a mais bronzeada
Traz um sorriso na cara e não sabe quem foi Kandinsky

E eu andei o ano inteiro, a juntar o meu dinheiro
Para esta desilusão
Dava todo o meu ouro por um pouco do teu bronze
Uma corzinha de verão

Vento, eu na praia a levar com vento
A rogar pragas e a culpar são Pedro
Que mal fiz eu ao céu?
E tento, juro que tento imaginar bom tempo
Espalho o protector solar e estendo o corpo no museu

E tento, juro que tento imaginar bom tempo
Espalho o protector solar e estendo o corpo no museu

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Mágico

O amor é mágico, não é uma magia qualquer, é a mais poderosa de todas.


Expensive Soul - O Amor é Mágico

Não dei por começar
Mas aconteceu
Como da primeira vez
Baby isto sou eu (sou eu)

Era só olhar
Batia perfeito
Jaz como o mar
Como estar sem jeito

Tentei mudar-te um pouco
Mas agora sei
Que não devia

Tentei mostrar-te o louco
Que sou por ti
Desde esse dia

Oooh oooh

Não me deixes mais
Nesta situação
Quero tar contigo
Para ter a noção

E o amor é rápido (yeeeah)
Sádico (uuuh)
Às vezes é trágico (yeeeah)

Mágico
É má-gi-co

Podia dizer
Que fiquei sem chão
E o que tu me deste
Foi uma lição

Acredito ter
Aquilo que queres
Mas depois de teres
Aí não desesperes

Tentei mudar-te um pouco
Mas agora sei
Que não devia

Tentei mostrar-te o louco
Que sou por ti
Desde esse dia

Oooh oooh

Não me deixes mais nesta situação
Quero tar contigo
Pra ter a noção

E o amor é rápido (yeeeah)
Sádico (uuuh)
Às vezes é trágico (yeeeah)

Mágico
É má-gi-co

Yo
É de loucos o que sinto por ti
Sinto falta de ti
Desejava tanto que 'tivesses aqui
E me desses o devido valor
Porque acredito que a vida não é nada sem amor
Não, sei que não sou perfeito
Nem nada que se pareça mas eu respeito
O que vai na tua cabeça
Que te gramo, que te adoro, que te amo
Que te quero, que te venero, que te sinto, que te espero.
Não me deixes mais nesta posição
Nada é em vão tudo tem a sua explicação
E eu sei a minha
Quando te vejo, falo, toco,
Arrepio na espinha
E agora vai ser tudo de bom
Quero ver a tua cara quando ouvires este som
Ah e vou tentar ser mais coração mole
Vou ligar-te para irmos ver o pôr do sol

E o amor é rápido
Sádico
Às vezes é trágico
Mágico
É má-gi-co
É rápido
É má-gi-co

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Sem medo

Transforme o medo em força para vencer


Resistência - Vai sem Medo

Vai sem medo
é de novo o começo
que outra vez acontece
o horizonte escurece
faz-se um grande sossego,

Não faz mal, vai sem medo
Não há preto nem branco
Nem há ninguém por perto
Que te possa ajudar

Vai depressa
E parte à descoberta
Porque a noite aparece
Nem há sombras no chão
E é tão grande o segredo

Não faz mal, vai sem medo
Não há preto nem branco
Nem há ninguém por perto
Que te possa guiar

Pensa grande
Num futuro distante
Em que possas mudar
Teu amor encontrar
Num caminho incerto

Não faz mal, vai sem medo
Não há preto nem branco
Nem há ninguém por perto
Só quem vais encontrar
Não faz mal, vai sem medo
Não há preto nem branco
Nem há ninguém por perto
Só quem vais encontrar

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Coisas boas e coisas más

As boas coisas também podem acontecer nos dias maus.


ALBERTO INDIO - MAGIA

Tu és a luz, o meu olhar
És a magia que me fez sonhar
Tu assim como a poesia
Soltas as palavras sem ter melodia

Tu és de noite quem eu amei
Tu és as lágrimas quando chorei
Tu és o tempo que esperei
Tu és todos os versos que eu nunca cantei

Fazes os tempos andar pra trás
Com coisas boas e coisas más
Tu és assim como a saudade
Deixaste a tua ausência ser uma verdade

Tu és desejo até ser dia
Tu és a vida que eu mais queria
Eu dei-te tudo o que eu sentia
Se fosses o meu destino eu nunca te perdia

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Cada dia é um bico d'obra

Mais importante da vida não é saber onde se está, mas sim para onde se vai.


Ana Moura - Dia de Folga

Manhã na minha ruela, sol pela janela
O Sr. jeitoso dá tréguas ao berbequim

O galo descansa, ri-se a criança
Hoje não dá birras, a tudo diz que sim

O casal em guerra do segundo andar
Fez as pazes, está lá fora a namorar

Cada dia é um bico d'obra
Uma carga de trabalhos, faz-nos falta renovar
Baterias, há razões de sobra
Para celebrarmos hoje com um fado que se empolga
É dia de folga!

Sem pressa de ar invencível, saia, saltos, rímel
Vou descer à rua, pode o trânsito parar

O guarda desfruta, a fiscal não multa
Passo e o turista, faz por não atrapalhar

Dona Laura hoje vai ler o jornal
Na cozinha está o esposo de avental

Cada dia é um bico d'obra
Uma carga de trabalhos, faz-nos falta renovar
Baterias, há razões de sobra
Para celebrarmos hoje com um fado que se empolga
É dia de folga!

Folga de ser-se quem se é
E de fazer tudo porque tem que ser
Folga para ao menos uma vez
A vida ser como nos apetecer

Cada dia é um bico d'obra
Uma carga de trabalhos, faz-nos falta renovar
Baterias, há razões de sobra
Para celebrarmos hoje com um fado que se empolga
É dia de folga!

Cada dia é um bico d'obra
Uma carga de trabalhos, faz-nos falta renovar
Baterias, há razões de sobra
Para celebrarmos hoje com um fado que se empolga
É dia de folga!

Este é o fado que se empolga
No dia de folga!
No dia de folga!

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

O que não dizes

Às vezes acreditamos de olhos fechados nas coisas que não são ditas


Paulo Gonzo - Sei de Cor

Sei de cor
Cada traço
Do teu rosto
Do teu olhar.
Cada Sombra
Da tua voz.
E cada silêncio
Cada gesto que tu faças
Meu amor sei-te de cor

Sei
Cada capricho teu
E o que não dizes
Ou preferes calar.
Deixa-me adivinhar
Não digas que o louco sou eu
Se for tanto melhor
Amor sei-te de cor

Sei
Por que becos te escondes.
Sei ao pormenor
O teu melhor e o pior.
Sei de ti mais do que queria
Numa palavra diria
Sei-te de cor

Sei
Cada capricho teu
E o que não dizes
Ou preferes calar.
Deixa-me adivinhar
Não digas que o louco sou eu
Se for tanto melhor
Amor sei-te de cor

Sei de cor
Cada traço
Do teu rosto
Do teu olhar.
Cada Sombra
Da tua voz.
E cada silêncio
Cada gesto que tu faças
Meu amor sei-te de cor

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Pode ser

“Que o momento mais deprimente é quando juntamos tudo que se sente.”


De Mares e Marias- António Zambujo

Pode ser
Que a tarde pare para ver mais uma vez
O sol perder-se no mar
Tu e eu

Pode ser
Que a noite queira dizer tanta coisa
Mais de uma vez
Eu sei, eu sei
Pode o amor passar
Ninguém saber

domingo, 3 de janeiro de 2016

Faz de Conta


É preferível a dor da realidade do que viver a ilusão do faz de conta



João Pedro Pais - "um volto já"

Quero os teus dedos molhados, bastante salgados
Encosta os teus lábios aos meus
Mal o meu corpo te encontra, já estás pronta
Mas fazes de conta que não me queres

Tu és, mais do que um beijo
Sentes desejo houve o coração bater
Mais depressa enquanto me embalas e perdes a fala
Tem cuidado não me faças sofrer

Eu venho de longe
Estou quase a chegar
Apresento-me hoje
Porque amanhã, não vou estar

Não demoro, quero-te agora
Fica na porta, um volto já
Mal me conheces, mas não me esqueces
Chego mais cedo, mas não posso ficar

Caio na tua rede, matas-me a sede
Olho-me ao espelho a vapor e suor
Fixa o olhar no escuro
Quero que vejas o meu e o teu esplendor

Fica bem mais de perto
Tiro-te a teima
O que tens tu para dizer
Sei mais do que tu julgas

Tens manias novas e há tanta noite a preencher
Eu e tu somos muitos, não podemos falhar
O que perdemos ontem
Hoje vamos ganhar

Não demoro, quero-te agora
Fica na porta, um volto já
Mal me conheces, mas não me esqueces
Chego mais cedo, mas não posso ficar

Não demoro, quero-te agora
Fica na porta, um volto já
Mal me conheces, mas não me esqueces
Chego mais cedo, mas não posso ficar

domingo, 27 de dezembro de 2015

Feliz Ano Novo

         "Bom/Feliz Ano Novo, os meus melhores votos para todos, principalmente para   aqueles que têm a coragem de lutar por um futuro melhor."

"Happy New Year, my best wishes for everyone, especially 
for those who have the courage to fight for a better future."

PERDIDO - AHNUC FT KULPADO

“A lei de Caim é a lei do fratricídio. A lei do fratricídio é a lei da guerra. A lei da guerra é a lei da força. A lei da força é a lei da insídia, a lei do assalto, a lei da pilhagem, a lei da bestialidade. Lei que nega a noção de todas as leis, lei de inconsciência, que autoriza a perfídia, consagra a brutalidade, agaloa a insolência, eterniza o ódio, premia o roubo, coroa a matança, organiza a devastação, semeia a barbaria, assenta o direito, a sociedade, o Estado no princípio da opressão, na omnipotência do mal. Lei de anarquia, que se opõe à essência de toda legalidade, substituindo a regra pelo arbítrio, a ordem pela violência, a autoridade pela tirania, o título jurídico pela extorsão armada. Lei animal que se insurge contra a existência de toda a humanidade, ensinando o homicídio, propagando a crueza, destruindo lares, bombardeando templos, envolvendo na chacina universal velhos, mulheres e crianças. Lei de torpeza, que proscreve o coração, a moral e a honra, misturando a morte com o estupro, a viuvez com a prostituição, a ignomínia com a orfandade. Lei de mentira, na falsa história que escreve, nos falsos pretextos que invoca, na falsa ciência que explora, na falsa dignidade que ostenta, na falsa bravura que assoalha, nas falsas liberdades que reivindica, fuzilando enfermeiras, atacando hospitais, metralhando povoações desarmadas, incendiando aldeias, bombeando cidades abertas, minando as estradas navais do comércio, submergindo navios mercantes, canhoneando tripulações e passageiros refugiados nas lanchas de salvamento, abandonando as vítimas da covardia das suas proezas marítimas aos mares revoltos e aos frios dos Invernos boreais. Lei do sofisma, lei da inveja, lei da carniçaria, lei do instinto sanguinário, lei do homem brutificado, lei de Caim. "


"The law of Cain is the fratricide law. The law of fratricide is the law of war. The law of war is the law of force. The law of force is the law of insidiousness, the assault of the law, the law of looting, the law of bestiality. Law which denies the notion of all laws, unconsciousness law authorizing the perfidy, enshrines the brutality, agaloa insolence, perpetuates hatred, rewards the theft, crown killing, organizes the devastation sow barbarism, based Right , society, the state on the principle of oppression, the evil omnipotence. Anarchy law, which opposes the essence of all legality, replacing the rule by the will, the order in violence, authority, the tyranny, the legal title for the armed robbery. Animal law who protested the existence of all humanity, murder teaching, spreading the rawness, destroying homes, bombing temples, involving the old universal slaughter, women and children. Turpitude law, which proscribes the heart, morals and honor, mixing death with rape, widowhood with prostitution, the shame with orphanhood. Lie law, the false story that writes in the false pretenses that relies on false science that explores the false dignity bearing in false bravery that assoalha, the false freedoms which claims, glaring nurses, attacking hospitals, strafing unarmed villages, burning villages, pumping open cities, undermining the naval roads trade, sinking merchant ships, crews and canhoneando refugees passengers on rescue boats, abandoning the victims of the cowardice of their maritime prowess to rough seas and cold of the boreal winters. Sophistry of law, law of envy, law of butchery, the bloodthirsty instinct law, the law brutificado man, Cain law. "

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Com o tempo

As coisas boas vem com o tempo, as melhores do nada.



Vitorino - Vou-me embora vou partir

Vou-me embora, vou partir mas tenho esperança
de correr o mundo inteiro, quero ir
quero ver e conhecer rosa branca
e a vida do marinheiro sem dormir

E a vida do marinheiro branca flor
que anda lutando no mar com talento
adeus adeus minha mãe, meu amor
eu hei-de ir hei-de voltar com o tempo